quinta-feira, 13 de abril de 2017

A TRADIÇÃO DA CEIA PASCAL ENTRE OS HEBREUS E A INSTITIUIÇÃO DA EUCARISTIA. Selvino antonio Malfatti





A primeira celebração pascal foi celebrada pelos hebreus no Egito. Cada família imolou um cordeiro e aspergiu a porta de suas casas. E, ao sinal combinado todos pegariam seus pertences e sairiam do Egito, guiados por Moises.
Esta comemoração continuou depois – sem imolar cordeiros - e perpetuou-se através dos tempos. Ela significa o êxodo ou a saída do estado de escravidão a que o povo israelita estava submetido para a liberdade. Neste dia tudo para, fazem-se as pazes, e o regozijo é geral. Inclusive houve épocas em que  dívidas eram perdoadas. Atualmente costuma-se destinar um elevador de cada edifício para parar em todos os andares significando que não há distinção de classes, com elevadores diretos para alguns.

Jesus e seus apóstolos eram judeus e por isso também celebraram a ceia pascal em Jerusalém. Vejamos como o evangelista narra este acontecimento:

7.Raiou o dia dos pães sem fermento, em que se devia imolar a Páscoa.

8.Jesus enviou Pedro e João, dizendo: Ide e preparai-nos a ceia da Páscoa. 

9.Perguntaram-lhe eles: Onde queres que a preparemos?

10.Ele respondeu: Ao entrardes na cidade, encontrareis um homem carregando uma bilha de água; segui-o até a casa em que ele entrar,

11.e direis ao dono da casa: O Mestre pergunta-te: Onde está a sala em que comerei a Páscoa com os meus discípulos?

12.Ele vos mostrará no andar superior uma grande sala mobiliada, e ali fazei os preparativos.

13.Foram, pois, e acharam tudo como Jesus lhes dissera; e prepararam a Páscoa. 

14.Chegada que foi a hora, Jesus pôs-se à mesa, e com ele os apóstolos.

15.Disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa, antes de sofrer.

16.Pois vos digo: não tornarei a comê-la, até que ela se cumpra no Reino de Deus. 

17.Pegando o cálice, deu graças e disse: Tomai este cálice e distribuí-o entre vós. 

18.Pois vos digo: já não tornarei a beber do fruto da videira, até que venha o Reino de Deus.

19.Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

20.Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós..."


São Lucas, 7-2 - Bíblia Católica Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário