sábado, 15 de maio de 2010

SANTA MARIA - MINHA CIDADE



Santa Maria. Enfim parei e estou contigo de novo!
Em minha formação e atuação profissional tive que morar em várias cidades gaúchas, brasileiras e até no exterior. Entre todas, porém, não houve nenhuma que me identifiquei mais como MINHA CIDADE, Santa Maria. É prazeroso estar nela. Passear na Praça Saldanha Marinho contemplando a centenária Três Marias do coreto, o chafariz, o teatro. Depois enveredar para a Niderauer ( achava lindo o nome 24 Horas) e descer até o Floriano. Descendo tem a ex-reitoria e o Colégio Marista, todo cheio de juventude. Voltar e ir até o calçadão: belas floreiras, encontro de gerações, aposentados curtindo o melhor da vida, comércio intenso, burburinho de puro povo, estudantes, crianças, namorados, o Calçadão, arfa, dormita, sorri, entristece. Ele é vida. Se desço pela Rio Branco, em seguida, de fronte uma da outra, duas catedrais, agora apaziguadas das guerras religiosas entre católicos e protestantes. Prá quê tanto ódio se Deus é o mesmo, Jesus é o mesmo e a humanidade é a mesma?! Uns entram nos templos, outros se benzem e outros nem enxergam de tão apressadas. A Avenida é bonita. Há árvores, estátuas comemorativas, cores, muita luz. Chega-se à antiga Estação Ferroviária. Como juntava gente antigamente. Era uma central ferroviária. E agora? Prosaico trânsito de trens de carga. Não precisaria ser uma central ferroviária como a Estação Cadorna de Milão, podia ser uma Santa Maria Novella de Florença! Podia, claro que podia!
No coração de Santa Maria: o Centro Universitário Franciscano, instituição cinqüentenária, pelo qual os santamarienses têm um carinho especial. “Lá fora”, como se diz, numa paisagem bucólica, a Universidade Federal de Santa Maria, orgulho maior da Cidade. Na outra ponta, a Universidade Luterana, nova, mas já destaque. A Faculdade Palotina, a Faculdade de Direito, a Faculdade Santa Clara e outras que surgiram depois e ainda surgirão constituem o conjunto de tua vocação cultural. Há, ainda, quartéis, Base aérea, Justiça, representações dos ministérios, hospitais, templos e santuários.
E se levantar o olhar no contorno, vejo o Morro do Cechella, a serra do Perau, O Cerrito e depois, os campos que se abrem para o pampa. Realmente, Santa Maria és bela. Tens senões, ah, isso tem! Mas qual a mãe que não tem?