sexta-feira, 26 de julho de 2013

JOVENS E IDOSOS - AS DUAS PONTAS DA POPULAÇÃO. Selvino Antonio Malfatti.




O líder do catolicismo - papa Francisco - encontra-se no Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude. Sua origem cultural, proveniente da ordem religiosa dos jesuítas, o credencia como um expressivo humanista. E, com efeito, o está demonstrando em seus pronunciamentos. Num desses, com exata percepção, afirmou que nas duas pontas da população existem atualmente graves problemas: nos jovens e nos idosos. Nos jovens por que poderá ser uma geração sem emprego e nos idosos por que é uma população vítima de rejeição cultural, a eutanásia cultural.
E o mais fantástico é que insinua que a solução pode estar aí. Conforme ele, se a sociedade aproveitasse a sabedoria dos idosos poderia eliminar os dois problemas. A sabedoria dos idosos poderia encontrar os meios para criar os empregos para os jovens. Com isso, os jovens teriam trabalho e os idosos seriam incorporados culturalmente. Inclusive afirma explicitamente que seu objetivo em vir à Jornada é exatamente este.
 “Estimular os jovens para que se integrem no tecido social, com os idosos. Um povo vai em frente com os dois (jovens e idosos). As pessoas idosas têm a sabedoria, a história, a família, os valores. Todos necessitam disso.” Os jovens, por sua vez, têm o entusiasmo, o arrojo, a criatividade, a vitalidade, a força. A “confusão” entre ambos levará à solução do problema de uns e de outros.
O papa acenou para a Juventude um projeto de vida. Apelou para que maduramente assuma, isto é, tenha consciência e o faça com responsabilidade.
A responsabilidade está intimamente unida à existência. Esta é a essência do homem. Cada homem é o ser que não é, mas que quer ser. Como existência é contínuo projeto. O projeto responsável é a essência do homem e nisto consiste sua existência. O ser humano como projeto vive o futuro. O homem desde que começou a deixar registros de sua existência caracterizou-se por um ser determinado a transpor os limites entre o conhecido e o desconhecido.
Por isso, a Juventude é continuamente um projeto. Como projeto é duplamente responsável. Primeiro, porque tem que perseguir o projeto e segundo, buscar determinado projeto e não qualquer um. Portanto, será sempre uma possibilidade responsável. Quando a possibilidade deixa de ser possibilidade e se torna a realidade ele passa a ser sua existência. Ele se identifica com aquilo que queria ser. Toma posse de seu projeto. A partir de então, alcançou a possibilidade e esta deixa de ser projeto. E novamente há que se projetar outra possibilidade. E neste diálogo (dia logos) o homem se constrói. A construção de um ser autoprojetado somente ocorre pela responsabilidade na escolha de uma entre um turbilhão de possibilidades. Ele somente consegue a unidade quando pondera a multiplicidade de possibilidades e se mantém fiel ao projeto.

E o projeto atual para a Juventude, sugerido pelo pontífice, é unir os dois extremos demográficos: a juventude e os idosos.