sexta-feira, 17 de dezembro de 2010




NATAL COM. ELE.
4. O “São José” do Presépio
- Vou montar o presépio, disse minha esposa.
Abriu a caixinha onde estava guardado e começou a desencaixotar as peças. Logo em seguida me pergunta:
- Cadê o “São José?
- Deve estar aí, junto com as outras figuras, respondo.
- Não estou achando, insiste. Não dá prá ficar sem ele?
- Não. Todo mundo vai notar. José, Maria e Jesus não podem faltar no presépio.
Mas por que José não pode faltar no presépio?
A Bíblia não cita uma palavra sequer dele. O que se diz é que ele era “pai adotivo” e não que Jesus fosse “filho adotivo”. A idéia que passa é que o filho escolheu o pai para adoção. O que sabemos dele é pouco coisa. Em linhas gerais é o seguinte:
- Descendia de família real. A Bíblia menciona explicitamente este fato.
- Casou-se com Maria aos 30 anos. Esta é uma idade aproximada. Foi calculada com base com outros acontecimentos relacionados.
- Não se separou dela, embora soubesse que estava grávida, não dele. Isto também consta na Bíblia. José no seu íntimo resolveu abandonar Maria, mas em sonho, um anjo lhe pediu para que não o fizesse.
- Cumprir os rituais do judaísmo, como circuncisão de Jesus, levar a família para Jerusalém na Páscoa, purificação da esposa após o parto. Todos estes fatos têm comprovação bíblica.
- Era carpinteiro. Também está comprovado. A carpintaria ficava na própria residência. Ainda hoje se encontra a casa em Nazaré. Assemelha-se a todas as outras. Há o lance térreo e o subsolo. No primeiro ficava a peça onde trabalhava.
- Na comunidade todos o reconheciam como o pai verdadeiro de Jesus. Também há comprovação escrita, na passagem onde o povo perguntava: “não é este o filho do carpinteiro”?
- Salva Jesus de ser morto com outras crianças, fugindo com a família. Logo que Herodes soube do nascimento do menino, relatado pelos reis magos, editou um decreto mandando matar todos os meninos com menos de um ano. José, decide com Maria, fugir com o menino para fora do país.
- Morreu aproximadamente aos 60 anos, pouco antes de Jesus começar a vida pública. Esta é uma idade aproximada. Quando Jesus entra na vida pública, José não é mais mencionado, a começar pelas bodas de Caná.
Apesar de não ser mencionada uma palavra dele, é apresentado como marido exemplar, pai dedicado, trabalhador honesto, homem de fé.
Por tudo isso, o “São José” não pode faltar no presépio.