sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

NÓS NA HISTÓRIA DE 2011 – RETROSPECTIVA. Selvino Antonio Malfatti

Se nossa terra fosse uma nave navegando pelo espaço, nós estaríamos viajando com ela. Nela estaríamos submetidos às peripécias do trajeto e sujeitos do que acontece no trajeto: lugares por onde se passou, pessoas que tivemos contatos, perigos enfrentados, alegrias, apreensões. Enfim, seríamos coparticipantes dos acontecimentos do percurso. Com efeito, como habitantes do planeta Terra, viajamos juntos no ano de 2011. Muita coisa aconteceu neste transcurso de tempo de 365 dias. Algumas pessoas vivenciaram os fatos no olho furacão, outras assistiram serenamente e outras ainda, apavoradas pelas tragédias. Lembremos alguns acontecimentos. I. Nacionais - Em 1º de Janeiro toma posse como presidente do Brasil a senhora Dilma Rousseff, primeira mulher a ocupar este cargo no Brasil - Como acontece há um bom tempo, os problemas de corrupção política continuam. Surge, porém, um fato novo: a chefia do executivo nacional está intervindo para corrigir fato e não, como se fazia anteriormente, tomar apenas medidas paliativas ora defendendo os acusados, ora os acobertando. Neste ano os ministros acusados de corrupção são demitidos pela presidente, como o Rasputin brasileiro Antonio Palocci e os ex-ministros Orlando Silva, Pedro Novais, Alfredo Nascimento, Wagner Nelson Jobin (neste não pesa acusação de corrupção). - Lamentavelmente o Brasil perde neste ano um político sereno e pacificador. Trata-se de José de Alencar, ex-vicepresidente no governo de Lula, que faleceu em março em São Paulo, devido a um câncer. II. Internacionais - Na vizinha Argentina,as eleições consagraram Cristina Kirchner como presidente com um percentual de 54% dos votos. - Na Europa, na chamada zona do Euro, abate-se uma crise econômica de proporções imprevistas, pois, assim como um tsunami, vai destruindo tudo o que encontra pela frente, tanto faz culpados como inocentes. Mas são os mais fracos economicamente os mais afetados como Grécia, Portugal, Itália, Irlanda. A própria economia dos Estados Unidos foi afetada, inclusive merecendo uma nota de rebaixamento. - Diante desta situação são exigidas pela tróica medidas de severidade econômica que inclui cortes de salários, demissões, Previdência, mão-de-obra, investimentos e pagamentos. Isso afetou diretamente a situação social e os benefícios de toda comunidade. - Um dos maiores cataclismos ocorre no Japão devido a um terremoto, seguido de um tsunami, causando milhares de vítimas e deixando o país em situação de calamidade. - Um dos acontecimentos mais comemorados pelos Estados Unidos foi a morte de Osama Bin Laden, do Paquistão, responsável pelos atentados das Torres Gêmeas em 11 de setembro de 2001, nos quais morreram aproximadament5e 3.000 pessoas. O fato foi considerado tão importante que o próprio presidente Barack Obama deu a notícia ao povo de seu país.
- Um das maiores, talvez, a mais significativa ocorrência de 2011, foi a Primavera Árabe. Diversos elementos se conjugaram para que esta situação acorresse. Seria, digamos, aquilo que Maquiavel entendia por Fortuna, isto é, a confluência de cursos que configuraram o status quo. Entre eles houve uma tomada de consciência da falta de liberdade, o desejo de possuí-la, a percepção de melhor qualidade de vida e o sonho da Democracia. Se até então os governos ditatoriais conseguiam controlar os meios de intercâmbio sociais, agora não foi mais possível. As redes de relacionamento social furaram o bloqueio e disseminaram as ideias acima apontadas. - O efeito dominó da queda de ditadores começa com a Tunísia que derruba Zine El Abidine Ben Ali. Segue-se a derrubada do ditador Hosni Mubarak, do Egito. - Aproveitando embalo a Líbia derruba Muamar Kadafi fato este precedido de uma sangrenta guerra civil. - Atualmente o cenário de guerra desenrola-se na Síria, cuja figura alvo é o ditador Bashar al-Assad. Estes foram os fatos que me veio à mente e que vivenciamos no decorrer de 2011. Se houver outros que o leitor considerar relevante, complemente- os nos comentários.