quinta-feira, 28 de abril de 2016

Os humanistas renascentistas. Selvino Antonio Malfatti.


                                     
   O campanário de Giotto - Florença


Por ocasião do falecimento do Professor Leonardo Prota, em março deste, todos os que se pronunciaram fizeram questão de frisar como grande contribuição sua foi despertar o interesse pelas humanidades no Brasil. Manifestamo-nos também descrevendo sobre a necessidade de fazermos um segundo renascimento, retomando a valorização do ser humano atualmente vilipendiado na educação, política e economia.
Por sua vez, o Professor Ricardo Vélez Rodriguez escreve um artigo sobre os 400 anos da morte do renascentista espanhol Cervantes destacando sua contribuição como humanista. Neste ano também se celebra os 400 anos de falecimento de William Shakespeare, outro renascentista de primeira grandeza. Estamos, portanto, no âmbito dos 400 anos do Renascimento.
Com efeito, desenvolveu-se na Europa nos séculos XIV, XV e XVI um movimento cultural global incrementando o desenvolvimento artístico, literário, filosófico e científico em prol da valorização homem como ser natural, pois até então se idealizava um homem anjo: virtuoso, puro, santo. Era um homem que vivia para morrer e só depois iria poder ser feliz.
O renascimento, ao contrário, deu destaque ao homem como ser imperfeito, corrompido e pecador, mas que podia aperfeiçoar-se e ser feliz ainda aqui na terra.
O renascimento marcou a passagem do homem medieval - sem conotação negativa - para o homem moderno - também sem conotação positiva. Foi somente uma transição, mas com mudanças profundas. Seria mais feliz o homem que confiava em Deus ou o homem que dependia de sua razão? O balanço nunca foi feito e talvez jamais será.
No intuito de relembrar este movimento global em prol do homem, apresentamos abaixo os principais representantes com suas obras e países de origem:
Principais representantes do Renascimento e suas obras:
 1. Itália
- Giotto di Bondone (1266-1337) - Obras principais: O Beijo de Judas, A Lamentação e Julgamento Final.
- Fra Angelico (1395 - 1455) - Obras principais: A coração da virgem, A Anunciação e Adoração dos Magos.
- Michelangelo Buonarroti (1475-1564)- Obras principais: Davi, Pietá, Moisés, pinturas da Capela Sistina (Juízo Final é a mais conhecida).
- Rafael Sanzio (1483-1520) - pintou várias madonas 
- Leonardo da Vinci (1452-1519)- pintor, escultor, cientista, engenheiro, físico, escritor. Obras principais: Mona Lisa, Última Ceia.
- Sandro Botticelli - (1445-1510)- Obras principais: O nascimento de Vênus e Primavera.
- Tintoretto - (1518-1594) -. Obras principais: Paraíso e Última Ceia.
- Veronese - (1528-1588) - Obras principais: A batalha de Lepanto e São Jerônimo no Deserto.
- Ticiano - (1488-1576) - Sua grande obra foi O imperador Carlos V em Muhlberg de 1548.
- Giogrio Vasari - (1511-1574) - Entre suas obras principais, podemos citar: Adoração dos magos e Perseu e Andrômeda.

 2. Holanda
- Erasmo de Roterdã. Humanista e fervoroso crítico social, sua principal obra foi Elogio da loucura. Já no campo das artes plásticas, podemos destacar o pintor holandês Jan Van Eyck, cuja obra principal e mais conhecida é O Casal Arnolfini.

 3. Espanha
- Espanha: O escritor Miguel de Cervantes, autor da obra Dom Quixote de la Mancha. Nas artes plásticas, destaca-se o pintor El Greco, autor de A Ascensão da Virgem, Adoração dos reis magos, El Expolio, entre outras.

 4. França
- O escritor e padre François Rabelais, autor da série de romances Gargântua e Pantagruel. O filósofo Montaigne, autor de Ensaios.

 5. Inglaterra
- William Shakespeare é autor de muitas obras famosas como, por exemplo, Romeu e Julieta, O Mercador de Veneza, O Rei Lear e Macbeth.

6. Portugal
- Luis Vaz de Camões, com a obra os Lusíadas.

7. Renascimento Científico.
 - Nicolau Copérnico. Defendeu a revolucionária ideia do heliocentrismo e. Copérnico também estudou os movimentos das estrelas.
- Galileu Galilei: Desenvolveu instrumentos ópticos, além de construir telescópios para aprimorar o estudo celeste. Este cientista também defendeu a ideia de que a Terra girava em torno do Sol. Galileu teve que desmentir suas ideias para fugir da fogueira.
 - Gutenberg.  A invenção da prensa em 1439, revolucionou o sistema de produção de livros no século XV.
(Fonte: História geral da arte - Renascimento e Barroco. Autor: Janson,H.V. http://www.suapesquisa.com/renascimento. Acessado em 28/04/2016)

Algumas frases ficaram famosas dos renascentistas:

1.    Dante – O aviso na porta do Inferno:” Deixai toda a esperança vós que aqui entrais”.
2.    Shakespeare – “Eis a questão: ser ou não ser
3.    Miguel Angelo para a escultura de Moisés: “fala!”
4.    Galileu , no experimento da rotação da terra: “no entanto, ela se move”.
5.    Camões, à heroína feminina, Inês de Castro: “Alma minha gentil que te partiste, tão cedo desta vida descontente...”

11 comentários:

  1. Marilda Malfatti, Vinícius Couzzi Mérida e outras 3 pessoas
    Comentários
    Vinícius Couzzi Mérida
    Vinícius Couzzi Mérida Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. É tudo tão perfeito quando analisado, uma leitura encantadora, e nada toca a humanidade, estamos desumanizados.

    ResponderExcluir
  3. Precisamos urgentemente de um novo renascimento.

    ResponderExcluir
  4. Um grande artigo para estes tempos. Ótima REFLEXÃO.

    ResponderExcluir
  5. Confiar em Deus ou seguir a razão, são escolhas que se completam.

    ResponderExcluir
  6. Humanamente preocupados com o homem e seu habitat. Hoje não temos mais figuras assim.

    ResponderExcluir
  7. Bom momento para trazer tal reflexão, muito bom para uma roda de conversa.

    ResponderExcluir
  8. Renascimento esta palavra soa tão linda, é esperança. parece nova maneira de vermos a realidade de outra forma.

    ResponderExcluir
  9. A partir do capitalismo ficamos perdidos. Adeus homem anjo.

    ResponderExcluir
  10. Tomara que este tempo traga um novo renascimento.
    Ótimo artigo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Se tudo tem um tempo, por Amor ou pela DOR haveremos de nos transformar.

    ResponderExcluir