sexta-feira, 28 de outubro de 2016

POR QUE SEGUNDO TURNO NAS ELEIÇÕES?. Selvino Antonio Malfatti.


Neste próximo domingo, dia 30 de outubro, ocorrerão as eleições em segundo nos municípios que possuem mais de 200 mil eleitores e nas quais nenhum candidato obteve mais de 50% dos votos dos votantes. 
A democracia é o governo do povo como resultado de um processo, isto é, o conjunto de instituições que colimam, como produto final, a vontade legítima da maioria. Portanto, não bastam eleições para se alcançar maioria. Eleição é apenas UM passo. Se bastasse eleição para se conquistar maioria, Pilatos teria condenado Jesus Cristo democraticamente. Além de eleição há partidos, sistema eleitoral, normas sobre propaganda, ética, justiça eleitoral, prazos, turnos entre outros.
Diante disso, qual o sentido de um segundo turno para as eleições. Exatamente para se conseguir maioria, isto é, considerar como vontade popular majoritária o candidato que fizer mais de 50% dos votos. Caso contrário, teríamos um governo de minoria.
Tomemos um exemplo: Hipoteticamente imaginemos candidato e porcentagem de votos:
Candidato A – 35%
     “           B -  25%
     “           C – 25%
     “           D – 15%
Se considerarmos eleito o candidato “A” com 35%, teríamos um governo de minoria, pois a soma dos outros três daria 65%. Por isso se faz um segundo turno com os dois mais votados para ver para quem vão os votos dos outros dois.
Nas eleições municipais de 2016 oito capitais tiveram candidatos que fizeram mais de 50% dos votos no 1º turno e, portanto, foram eleitos por que alcançaram maioria. São as capitais:
São Paulo, Salvador, João Pessoa, Natal, Teresina, Palmas, Boa Vista e Rio Branco.
As demais capitais deverão ter segundo turno, bem como todos os municípios com mais de 200 mil eleitores.
Capitais que terão 2º turno:
Sudeste
1º Rio de Janeiro
- Marcelo Crivella (PRB): 46%
- Marcelo Freixo (PSOL): 27%
2º Belo Horizonte
- João Leite PSDB ( 33.40%)
- Alexandre Kalil PHS( 26.56%)
3º Vitória
- Luciano Rezende PPS (43,82%)
- Amaro Neto SD (35.32%)

Sul
1º Curitiba
- Rafael Greca (PMN) – 38,37%
- Ney Leprevost (PSD) – 23,67%
2º Florianópolis
- Gean  (PMDB) 40%,
- Angela Amin,( (PP))  27%,
3º Porto Alegre :
- Nelson Júnior (PSDB), 29,84%
- Sebastião Melo (PMDB), 25,93%

Nordeste
Aracaju (SE): Edvaldo Filho (PCdoB) e Antonio Valadares (PSB)
Maceió (AL): Rui Palmeira (PSDB) e Cicero de Almeida (PMDB)
Recife (PE): Geraldo Filho (PSB) e João Lima e Silva (PT)
Fortaleza (CE): Roberto Claudio (PDT) e Capitão Wagner (PR)
São Luís (MA): Edivaldo de Holanda (PDT) e Eduardo Salim (PMN)

Norte
Belém (PA): Zenaldo Júnior (PSDB) e Edmilson Rodrigues (PSOL)
Macapá (AP): Clecio Luís (Rede) e Gilvam Borges (PMDB)
Manaus (MA) Artur Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR)
Porto Velho (RO): Hildon Chaves (PSDB) e Leonardo de Moraes (PTB)

Centro-Oeste
Goiânia (GO): Iris Machado (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PSB)
Cuiabá (MT): Emanuel Pinheiro (PMDB) e Wilson dos Santos (PSDB)
Campo Grande (MS): Marcos Trad (PSD) e Rose (PSDB)


BOA SORTE

7 comentários:

  1. Uma ótima orientação, a maioria das pessoas não sabe porque o segundo turno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, sempre ficamos na duvida. Valeu a explicação.

      Excluir
    2. Pena que deixamos de nos inteirar e conhecer as regras do jogo.
      Importante.

      Excluir
  2. E cadê o Partido dos Trabalhadores no segundo turno? SUMIU.

    ResponderExcluir
  3. Agora vou acompanhar o desenrolar do segundo turno, só para entender como as pessoas podem mudar drasticamente o voto em trinta dias.

    ResponderExcluir
  4. Se é para pensar, muito triste, dos candidatos cada um pior que o outro.

    ResponderExcluir
  5. Curioso para saber neste segundo turno qual o partido se fortalecerá. A partir daí teremos um grande jogo.

    ResponderExcluir